Paulo sugere ensino de idioma estrangeiro a policiais e profissionais de segurança


      Paulo Bengtson: “Outro idioma facilitaria a comunicação nos atendimentos aos estrangeiros.”


O deputado Paulo Bengtson (PTB-PA) solicitou ao governo federal que seja incluída na formação dos profissionais da área de segurança pública disciplina sobre língua estrangeira para melhor atendimento de turistas e visitantes de outros países no Brasil (INC 33/20).
 
Na indicação, encaminhada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, o parlamentar sugere alteração na Matriz Curricular Nacional, elaborada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP), para acrescentar a disciplina Língua e Comunicação em Idioma Estrangeiro.
 
“A proposta busca sugerir a inserção de disciplina que aborde, pelo menos, o estudo de um idioma estrangeiro. Sem dúvida, a qualificação dos profissionais da segurança pública em alguma língua estrangeira contribui bastante para o exercício de suas funções policiais, pois facilitaria a comunicação e compreensão nos atendimentos aos cidadãos estrangeiros”, diz.
 
Preocupação
 
Paulo Bengtson explica que órgãos policiais, de alguns estados, já estão preocupados com o aprendizado de outro idioma. Distrito Federal, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Paraná são unidades brasileiras que inseriram o ensino da língua inglesa na grande curricular de suas instituições, por ser considerada uma língua internacional
 
“A atividade policial é diferenciada e, por conta disso, exige que os operadores de segurança pública envolvidos neste processo possuam um conhecimento diversificado, sem se afastar da especificidade que a profissão requer. A formação especializada é necessária para uma atuação dinâmica, principalmente nesse momento em que o Brasil recebe tantos turistas, empresários e estudantes de outros países”, afirma.
 
Currículo
 
Desde 2003, a SENASP, vinculada ao Ministério da Justiça, trabalha em cima do desenvolvimento do currículo de profissionais da área de segurança pública com o propósito de orientar a formação. Em 2014 foi apresentada a versão final da Matriz, que vigora até hoje em dia.
 
O deputado informa que, no documento atual, constam as disciplinas que contribuem para a formação e a capacitação dos profissionais da segurança pública, nos três campos de competência: cognitiva, operativa e atitudinais, tendo em vista que a carreira policial exige que os operadores possuam conhecimento diversificado.
 
Reportagem – Carlos Augusto Xavier, sob a supervisão de Regina Mesquita
Foto – Jotaric

Comentários

Não existem comentários

Postar um comentário

  • ©2020 PTB na Câmara. Todos os direitos reservados.