Alex Canziani manifesta preocupação com alta inadimplência de estudantes com o Fies

Escrito 30/03/2017, 11:05
Por Renata
Categoria destaque

  Alex: “Acompanharemos o que será feito para viabilizar o Fies; alunos precisam do financiamento.”


O Ministério da Educação deve divulgar, na próxima semana, os prejuízos causados pela inadimplência dos alunos que aderiram ao Programa de Financiamento Estudantil (Fies), que teria chegado a 53% em janeiro.

Segundo informações divulgadas pela imprensa, o governo vai rever o programa e estabelecer novas regras de acesso ao financiamento e de pagamento das mensalidades.

O presidente da Frente Parlamentar da Educação do Congresso Nacional, deputado Alex Canziani (PTB-PR), afirma que vai acompanhar o que será decidido pelo Poder Executivo em relação ao Fies, pois o considera um instrumento importante para a educação superior.

“O governo está prevendo fazer uma grande reformulação no programa e nós queremos acompanhar o que vai ser feito para poder viabilizar o Fies, porque os estudantes precisam deste financiamento”, afirmou.

Prestações

Com o Fies, os estudantes do ensino superior têm cursos financiados pelo governo e começam a devolver o dinheiro emprestado, em prestações, um ano em meio após o fim do curso de graduação. Entretanto, a conta não tem fechado, pois mais da metade dos alunos formados está inadimplente.

Como o fundo garantidor com recursos das instituições de ensino só cobre até 10% dos calotes, os débitos restantes oneram ainda mais o orçamento do governo.

“O custo do Fies é muito barato para o estudante. Não tem reajuste, tem um financiamento com juros de 6,5% ao ano, e a dívida só paga pelo aluno depois de formado. É uma condição muito propícia. Mais que isso, o pagamento por parte desses alunos vai viabilizar novos projetos, novos financiamentos para os alunos novos que estão chegando também”, ressaltou Canziani.
 
Reportagem – Renata Tôrres, com a colaboração de Regina Mesquita
Foto - Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados

Comentários

Não existem comentários

Postagem de comentários após três meses foi desabilitado.
  • ©2020 PTB na Câmara. Todos os direitos reservados.